Blog

Secretarias de saúde recebem placa de reconhecimento pela contribuição ao projeto UTIs Brasileiras através do programa Governança Clínica Epimed

utis-brasileiras.jpg

A pandemia de Covid-19 gerou um crescimento desordenado de leitos nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) em todo o país, mobilizando a gestão da saúde nos hospitais, médicos e profissionais intensivistas. A necessidade de expansão e pleno funcionamento dessas unidades, por sua vez, evidenciou a importância da otimização dos leitos para o atendimento às necessidades da população, fortalecendo um debate recorrente a respeito da carência de estratégias para o melhor desempenho dos leitos de UTI.

Nesse contexto, a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB), por meio do projeto UTIs Brasileiras e em parceria com o programa Governança Clínica Epimed, auxilia secretarias estaduais e municipais de saúde a caracterizarem o perfil epidemiológico dos pacientes críticos nas UTIs, através do compartilhamento de informações e do fornecimento de dados para orientar o desenvolvimento de políticas públicas de saúde e a melhoria do cuidado.

O programa Governança Clínica Epimed atua com equipe exclusiva de coletores de dados que, em visitas diárias, registram esses dados encontrados em documentos e sistemas administrativos e/ou clínicos dos hospitais no sistema Epimed, de modo a gerar relatórios, informes, painéis e gráficos que irão contribuir com a gestão clínica assistencial, com a redução de custos e com a melhoria da qualidade assistencial.

Voltado exclusivamente ao setor público, o programa está presente em mais de sete secretarias de saúde, 93 hospitais, monitorando 2.820 leitos de UTIs, entre Adulto, Neonatal e Pediátrico, e mais 14 mil leitos de internação. A Epimed, por sua vez, está presente em mais de 750 hospitais da América Latina e da Europa, gerenciando mais de 20 mil leitos de terapia intensiva, com mais de quatro milhões de pacientes em sua base de dados.

Na noite da última quarta-feira, 24 de março, representantes da AMIB e da Epimed estiveram reunidos em Brasília com secretários estaduais e municipais de saúde para a entrega das placas de reconhecimento aos gestores que, em conjunto com as suas equipes, aderiram e empenharam esforços ao programa Governança Clínica Epimed, contribuindo para o desenvolvimento do projeto UTIs Brasileiras.

“No momento de crise, atuamos junto ao governo para aumentar a alocação de recursos humanos em terapia intensiva e reivindicamos a liberação de ventiladores mecânicos, e a utilização e abertura de leitos, além da criação de unidades intermediárias, entre outras iniciativas. Para isso, precisávamos de critérios e regime de contingência”, explica o presidente da AMIB, Marcelo Maia. “Com dados estruturados em um grande e único banco de dados, seria possível entender a qualidade e a segurança das terapias intensivas públicas e privadas no Brasil”, completa.

O coordenador do projeto UTIs Brasileiras, Ederlon Rezende, enfatiza que as UTIs dependem de recursos humanos especializados e de organização para o pleno funcionamento, e reiterou que a coleta de dados e de informação é crucial: “o perfil epidemiológico do projeto UTIs Brasileiras é o maior banco de dados do mundo e precisamos avançar, aumentar a participação das UTIs públicas para tornar mais robustas as informações do banco de dados, amparando estrategicamente as decisões que direcionam as políticas públicas de saúde”.

Ederlon também aproveitou a oportunidade para alertar quanto ao modelo de financiamento da terapia intensiva no Brasil, feito a partir do tempo de permanência e não da eficiência das unidades.

Entre os homenageados, estiveram presentes o presidente do CONASS e Secretário de Saúde do Espírito Santo, Nésio Fernandes; o Secretário de Saúde do Maranhão, Carlos Eduardo Lula; a Secretária de Saúde de Sergipe, Mércia Feitosa; e Mariana Bezerra, representando o Secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Alexandre Chieppe. O Secretário de Saúde do município de Aparecida de Goiânia, Alessandro Magalhães, também recebeu a placa de homenagem.

Também participaram do evento os Secretários de Saúde de Pernambuco, André Longo; do Amapá, Juan Mendes; do Rio Grande do Norte, Cipriano Maia; e de Santa Catarina, André Motta Ribeiro; e a assessora técnica do CONASS, Carla Ulhoa.

Os Secretários de Saúde de Rondônia, Fernando Rodrigues Máximo, e do Ceará, Marcos Antônio Gadelha Maia, além do Secretário de Saúde do município de Canoas, Maicon de Barros Lemos, também receberão a placa de reconhecimento, embora não pudessem comparecer ao evento.

Sobre o programa

Presente em quase 100 hospitais e aproximadamente 14 mil leitos monitorados da rede de saúde pública, o programa Governança Clínica Epimed contribui com o trabalho das secretarias estaduais e municipais de saúde por meio de relatórios diários de internações, previsibilidade de leitos, estimativa da duração atual da internação do paciente e o risco para longa permanência, bem como a otimização dos leitos, tendo em vista, entre outros indicadores, o uso efetivo da rede de leitos monitorada e a redução de custos.

Conforme detalha Mauricio Velasco, coordenador médico da Epimed, o programa também permite comparações entre resultados e patologias, com a finalidade de direcionar de forma padronizada a tomada de decisão: “o programa já resultou, por exemplo, na disponibilidade de mais de 1.600 leitos por dia, através da melhoria dos processos do programa. Por meio de inteligência artificial e utilizando uma base de quatro milhões de pacientes, é possível melhorar a qualidade da assistência com auxílio de benchmarking de rede em hospitais do país e até do exterior, e buscar, com isso, a melhora de performance das UTIs e leitos de enfermaria e, consequentemente, a redução dos custos hospitalares, o que é fundamental para a saúde financeira dos hospitais em todo país”.

Conheça o projeto UTIs Brasileiras da AMIB em parceria com a Epimed e o programa Governança Clínica.